quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Existência


Mais uma vez deixo-me afastar pela agitação,
Que sopra forte, neste desfecho de tarde,
E que me embala num banho de sol frígido
Como uma noite passada ao relento.

Meu ser, assenta nessa infinidade
E as minhas vistas já espelham esse pesar

Mas avança…
Alivia esse alento, Existência!
Deixarei de sentir as feridas,
E não vou voltar a aguardar inquieta
Pelo teu princípio!

Porque amanhã, o sol dançará com outra lua, noutro cosmos…
Ana Mateus

4 comentários:

Van disse...

Áin, linda!
=)))
Ótimo poema, querida.

Enfermeiro disse...

Lindo..Gostei mt...

Beijinho grande :)

Carlos Esperança disse...

Rita:

«O Caminho faz-se caminhando»

Parabéns.

Anónimo disse...

Sempre inspirada e inspiradora. A cada dia descubro o ser especial que és e que tens guardado bem fundo no baú do teu tesouro.